fbpx

Trabalhar de graça no começo da carreira pode ser uma boa estratégia para conseguir novos clientes e experiência, além de construir seu portfólio.

 

Se você está iniciando no mundo da fotografia, certamente tem dúvidas se faz ou não esse tipo de trabalho. Afinal, quando pensamos em trabalhar de graça o que vem em mente é uma parte ganhando algo enquanto a outra se esforça sem recompensa.

E não há nada de errado em pensar assim, pois ninguém deve trabalhar sem receber benefícios por isso. O dinheiro é a principal remuneração que temos por nossas horas de trabalho e é com ele que pagamos as contas e investimos no nosso negócio. Então, quando é que essa estratégia funciona para o seu negócio?

Trabalhar de Graça - Fotógrafo mostrando resultado de uma foto para o cliente

Trabalhar de graça é válido quando faz parte de uma estratégia bem estruturada. Foto por Collins Lesulie / Unsplash

Quando devo trabalhar de graça afinal?

Seja você um fotógrafo de retratos, paisagens urbanas ou naturais, ou até alguém que quer se especializar em fotografia comercial, trabalhar de graça tem suas vantagens.

Essas vantagens só são válidas quando o trabalho faz parte de uma estratégia maior. Ou seja, quando o trabalho gratuito abre portas para oportunidades remuneradas.

E que oportunidades são essas?

1. Conseguir Clientes

É muito difícil conseguir trabalhos pagos quando estamos começando na fotografia e isso é normal.

O cliente não sabe a qualidade do seu trabalho, se você é um bom profissional ou não, se cumpre com os prazos, etc. Então é legal fazer alguns trabalhos não pagos no começo para que te aconteçam duas coisas: o cliente te conheça e saiba o quão bom você é. Com isso, além de conseguir um cliente fiel, ele ainda pode te indicar para outros trabalhos.

Mas lembre-se: não deixe os clientes acharem que você nunca vai cobrar pelo seu trabalho. O ideal é que você faça apenas um trabalho de graça por cliente. Assim, você vai pegar experiência, construir o seu portfólio e os clientes não vão tentar se aproveitar de você.

2. Ganhar Experiência

Ao fazer alguns trabalhos de graça você vai pegar experiência com clientes, o que é extremamente importante. Assim, você começa a entender mais sobre o lado “business” da fotografia.

Você vai ter noção de como se comportar na frente de um cliente, como falar com ele e como lidar com os problemas e desafios que eventualmente surgirão. Além disso, vai aprender também a criar prazos, a entender o seu valor e a ser mais confiante para que não passe a impressão de que você é um iniciante na fotografia.

3. Construir seu Portfólio

No começo você não consegue clientes pagantes porque, entre outras coisas, não tem portfólio. E não tem um portfólio porque não consegue clientes.

A saída é fazer alguns trabalhos de graça. Assim, quando você for atrás de novos clientes, vai poder mostrar para eles toda a qualidade do seu trabalho e dizer para eles que já trabalhou com outras pessoas ou grandes empresas. Eles não precisam saber que o trabalho foi de graça, só de você já ter clientes já vai chamar mais atenção para o seu negócio.

Uma dica final

Vá atrás de clientes que possam te oferecer um excelente networking, para que você comece a construir sua rede de contatos. Essa rede será muito importante ao longo da sua carreira, pois é através dela que você receberá indicações para futuros trabalhos.

Gostou do post? Continue a conversa usando a sessão de comentários aqui do blog e aproveite para tirar as suas dúvidas.

Até o próximo conteúdo aqui no Aprenda com Paulo!

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

One Comment

Leave a Reply