fbpx

A fotografia de viagem é vista com certo glamour por permitir ao profissional viajar por diversos lugares. Mas não se engane, pois ela é um dos nichos que mais exigem do fotógrafo no quesito de habilidade e dedicação.

A evolução das redes sociais trouxe um fenômeno que não existia nas mídias tradicionais: o influenciador digital. No Instagram, por exemplo, o termo “Instagrammer” passou a significar que um usuário é relevante na plataforma e tem um trabalho capaz de lhe render milhares de seguidores.

Fotografia de viagem - instagrammer

Os Instagrammers assumiram um papel importante nas redes sociais ao falar sobre temas que dominam. Foto por Callie Morgan / Unsplash.

Esse fenômeno popularizou as imagens de diversos profissionais da fotografia, abrindo portas para que trabalhos com marcas, agências e até governos se realizassem. Assim, no nicho da fotografia de viagem, promover destinos turísticos indo até o local, criar imagens bonitas e que despertem o desejo das pessoas em viajar para lá também faz parte do pacote.

E quais são os principais desafios do nicho da fotografia de viagens?

Tudo é questão de tempo

 

A ideia de viajar é uma delícia, mas só quando você decide planejar a viagem é que percebe o trabalho que isso dá. Para um turista comum, um planejamento simples envolve escolher o destino, pesquisar preço de passagem e hospedagem e definir o orçamento para gastar nesse tempo considerando os dias de permanência no local. Mas e para um fotógrafo de viagens, o que muda?

A diferença é que o fotógrafo viaja para trabalhar, e perder oportunidades não é uma opção. Saber lidar com o tempo disponível e a grande quantidade de coisas que se pode clicar na viagem é o principal desafio da profissão. Afinal, qualquer decisão equivocada pode resultar na falta de cliques importantes para a conclusão do trabalho.

Planeje cada visita a cada local com os minutos contados. Chegue preparado para fazer a foto que quer fazer, para otimizar o máximo o tempo. Na foto abaixo, por exemplo, eu tive que esperar 1 hora pela condição de tempo ideal até conseguir a foto que precisava.

O que o planejamento deve incluir

É muito importante ser realista com o tempo de captura e deslocamento e sempre deixar uma folga, para garantir que a programação feita no planejamento seja cumprida. Em alguns trabalhos você vai ter a chance de visitar os locais com mais calma e até aproveitar algumas atrações como turista para passar a visão real de como é a experiência. Já em outros, você terá que ir com as fotos planejadas com bastante antecedência e fazer o máximo de coisas em poucos dias, inclusive visitando dois ou três lugares por dia a depender do roteiro proposto por quem te contratou.

Assim, é ideal que você pesquise o máximo de informações possível sobre o local que você vai visitar. Pesquise sobre o clima, o relevo, a cultura local e sobre proibições a respeito do tipo de fotografia que você pode fazer. Por exemplo, em alguns locais é proibido usar drones, enquanto em outros é obrigatório ter uma licença especial para usar o equipamento.

Lembre que suas fotos devem contar uma história e despertar o interesse das pessoas em visitar o local. Por isso, capriche nas informações mais buscadas pelos turistas, como onde se hospedar, onde comer e o que visitar. Se sua contratante te der carta branca, você pode incluir esses detalhes no trabalho para torná-lo ainda mais atraente.

Mentalidade profissional

 

O fotógrafo de viagem deve ser muito versátil no que captura, afinal viajar vai muito além de paisagens e pontos turísticos. Tem que ter uma boa sensibilidade para capturar pessoas, emoções, experiências, culturas, arquitetura, paisagens, gastronomia e muito mais.

Quanto mais você entende daquilo que vai fotografar, mais se destaca em comparação às milhares de fotos que são feitas do mesmo lugar todos os dias. Turistas têm um olhar mais comum para as coisas, e geralmente fazem as mesmas fotos que outras pessoas já fizeram nos locais que visitam. O seu papel como fotógrafo é justamente trazer uma perspectiva diferente com a suas imagens, que faça até o local mais conhecido do mundo parecer uma novidade imperdível.

Um exemplo divertido de como a repetição é algo comum de se ver nas redes sociais é o perfil @insta_repeat, criado pela filmmaker Emma Agnes, onde ela organiza colagens de fotos extremamente parecidas feitas por diversos perfis diferentes no mesmo estilo de local, e às vezes até no mesmo local.

Assim, a sua busca por inspirações deve ser ainda mais intensa, com o objetivo de criar um conjunto de fotos que faça sentido e não seja apenas mais um que vai para o Instagram.

Cuidados com o equipamento

 

Garanta que o equipamento está seguro (com cobertura internacional em viagens para fora do país). Fique alerta da mesma forma que você fica em sua cidade, afinal existe perigo em todo lugar.

Se você ainda não tem seguro para o seu equipamento e não sabe por onde começar a procurar, neste vídeo que postei lá no Youtube você saberá qual é a melhor e mais confiável seguradora e também todos os detalhes das coberturas do seu equipamento, como danos físicos, roubos/furtos, danos elétricos e mais!

Não conte com a sorte durante as viagens. No caso de assalto, furto ou até dano ao seu equipamento, seu cliente pode não ser tão compreensivo assim a ponto de pagar uma nova viagem para que você faça as fotos novamente. 

Encare o seguro como um investimento necessário: é melhor ter e não precisar usar do que não ter quando precisar dele. Evite prejuízos ao seu bolso e a sua credibilidade.

Como tirar fotos melhores de viagem

 

Para finalizar este artigo, neste outro vídeo eu dou algumas dicas de como você pode melhorar as suas fotos de viagem sem gastar dinheiro e chamar ainda mais atenção para o seu perfil no Instagram.

 

E se ainda restaram dúvidas sobre como usar o Instagram? Então continue a conversa usando a sessão de comentários aqui do blog. Aproveite para perguntar o que quiser!

Até o próximo conteúdo aqui no Aprenda com Paulo!

Leave a Reply